ACONTECENDO ARTE E CULTURA

Preparo: um pingo de Prata com dose de Veríssimo e dois dedos de Betti

images (2)
Written by Anderson Moraes

paulo betti 7

Confira o “Drink Gentileza” oferecido a todos pelo artista

Domingo a tarde passo em um sebo de livros usados na calçada da região do metrô Praça da Árvore e ali vejo algumas raridades.

Entre as obras adquiridas, um livro em especial precisei deixar para trás por me faltar recursos. Em breve voltaremos a ele. Vou para meu compromisso lendo Mário Prata, este exímio contista.

Saio, me despeço do Valter, o vendedor, e vou para estação Pinheiros. De lá, rumo à estação Morumbi. Chego ao teatro e pego meu ingresso (que gentilmente foi cedido pela Thais, tia do amigo Felipe Dias).

Inicia-se a peça: “Autobiografia Autorizada”, com o simpático e performático Paulo Betti.

A peça flui como um conto de Mário Prata ou Brás, Bexiga e Barra Funda – uma coletânea de contos do escritor brasileiro Antônio de Alcântara Machado , e com encenações de Brecht.

A plateia participativa somente responde ao carisma interiorano do menino que com pés no chão viveu, guardou e encenou a felicidade da infância de Sorocaba.

Revelou ao JE eu um papo descontraído ao final do espetáculo, o ator Paulo Betti, os 10 anos ser a idade marcante em sua vida.  E um dos motivos foi a subida de divisão do time do São Bento*.

*Nota: Em 1962, após sagrar-se Campeão Paulista da Serie A2 do Campeonato Paulista, subiu para a Divisão Especial (A1), ficando nela por quase trinta anos.

Senhor do palco e hábil contador de suas memórias.

Lúcido. Soube fazer magistralmente do palco sua terra. Atento aos detalhes, exímio contador de suas memórias, engraçado e respeitoso até para contar – ao tratar,  passagens com entes doentes (doenças) e mortes em família. Dona Adelaide merecia uma peça à parte. Deixa aquele gosto de queria ter vivido também ali naquela casa com eles.

Finda-se a peça. Público em pé aplaude.  Lá fora aguardam o anfitrião que com quem aprendeu a respeitar seu público, ensina aos “estrelas” e emburrados, como recepcionar aqueles que vieram vê-lo. Uma aula dentro e fora do palco. Ou seria lá fora parte da peça e ninguém avisou?

Gentileza gera gentileza. E foi assim que aconteciam as relações no saguão. O ápice? Entra no salão a senhora Elvira Lima Gentil, a primeira professora de Betti. A partir daí há desde trocas de gentilezas a agradecimentos e carinhos para com a mestre. O aluno agradece e referencia.

Ao sair do Teatro, já no trajeto final, dentro do metrô um papo com um ex-hippie que hoje é representante de vendas. O Senhor Raul, de 64anos, que no nome carrega música, política e fala de suas viagens ao redor do País, além de como nesta cidade que engole a calma/paz faz com que ele sinta falta do silêncio.

Antes de partir, abre a mochila, saca um livro e me oferece de presente.

Lembra que disse que voltaria a falar do sebo?

Pois bem. O livro que não comprei por faltar dinheiro, lá  do sebo de calçada, foi o mesmo que ganhei do senhor Raul. Um ato gentil e, senão, ate místico.

Coincidência? Presença de Deus? Ou apenas Veríssimo brincando comigo como parte de mais uma das suas e de seu grande humor?

A cada intervalo ou baldeação nesse domingo teve como tira-gosto o livro de Mário Prata, “Minhas mulheres e meus homens”.

Um dia gentil, de memórias e histórias.

Fotos:

Catia Catarina, 66 Vanda Campos, 50 Katia Regina, 43

Catia Catarina, 66
Vanda Campos, 50
Katia Regina, 43

Gisele Ferreira, 49 Wanessa Campos, 15

Gisele Ferreira, 49
Wanessa Campos, 15

Eloa Pires, 32, com o artista

Eloa Pires, 32, com o artista

 

Professora Elvira Lima Gentil

Professora Elvira Lima Gentil

 

Marcia Costa, designer

Marcia Costa, designer

 

Denise Isaque, 36, tira foto com o Paulo Betti.

Denise Isaque, 36, tira foto com o Paulo Betti

 

Paulo Betti atende aos fãs com carinho

Paulo Betti atende aos fãs com carinho

Sobre o Autor

Anderson Moraes

Deixe um comentário