VIDA & BEM ESTAR

Os malefícios dos alimentos multiprocessados à saúde

Há mais de 2.000 anos atrás, na China, um sábio ou um punhado deles elencava os seis elementos essenciais da humanidade. Estes eram constituintes da filosofia chinesa, esta que permeia questões como saúde e metereologia e subsiste até hoje. O sexto elemento para os sábios era o grão.

Verdade é que na literatura chinesa o grão deixou logo de aparecer entre os elementos essenciais ( água, fogo, terra, madeira e metal), mas o grão exerceu grande papel na história da humanidade. Antes dele os homens eram nômades. Penavam e morriam na luta contra a natureza. Com o advento da agricultura e da pecuária o homem tornou-se sedentário. Cultivou a terra. Fincou raízes e moldou o meio ao seu favor.

Ao longo da história da humanidade, comum era o estado de desnutrição. Até pouco além da idade média a carência de alimentos era dos maiores males, junto com as doenças moléstias infecto- contagiosas. O ser humano morria cedo, por desnutrição, peste ou qualquer infecção. A comida era escassa e disponível em abundância apenas para os mais ricos. Era comum a ingestão de alimentos em estado de deterioração.

Os avanços tecnológicos no campo permitiram uma melhora nessas condições. A comida tornou-se abundante e, inesperadamente, surgiram os revéses.

Nos últimos cem anos tem aumentado consideravelmente no mundo a ingesta de alimentos ditos multiprocessados ou manufaturados. Tais alimentos são ricos em carboidratos, como açucares e farinha. São pobres em fibras e tem alto valor energético.

Os cientistas logo se depararam com uma pandemia de obesos na Humanidade. Condenou-se a dieta gordurosa, que tem lá também um bocado de culpa. Depois descobriram que o vilão maior era o carboidrato advindo de alimentos multiprocessados.

Bolos, tortas, bolachas, massas, achocolatados, salgados e tantos outros são hoje os maiores vilões da culinária contemporânea. Uma dieta saudável deve passar pela evitação de alimentos processados ou industrializados e pelo uso abundante de folhas e frutas, sem no entanto excluir na refeição proteínas , gorduras insaturadas ( óleos de soja, oliva,…) e carboidratos, mas na forma integral ( presentes no milho por exemplo). Fazendo assim tendemos a ter uma vida mais saudável

Sobre o Autor

Rodrigo de Novaes

Escritor, ensaísta, médico de família e epidemiologista. Mestre em Epidemiologia pela UFSC. Escreve ao jornal Empoderado. Autor de " A última aldeia"

Deixe um comentário