ENTRETENIMENTO

Número de visitantes crescente mostra que o conceito liberal é bem recebido pelos brasileiros

Hot Bar 2

Hot Bar_Abre

Gerente-geral do Hot Bar conta mais sobre esse estilo de vida e comportamento

Localizado há um ano e meio na região de Moema, uma dos bairros mais nobres da capital de São Paulo, o Hot Bar é uma casa liberal que amplia ainda mais o seu conceito.

Além do público variado, que pode contar com a discrição e a música de qualidade, o respeito é um dos pontos mais altos, o que permite que casais também visitem o local sem passar por situações constrangedoras.

“Temos lounge, pista de dança, bar, camarote, mesas, lugares reservados e não há aquele hábito de puxar ou abordar as pessoas. Ou seja, todos podem vir para se divertir da maneira que desejam”, conta o gerente-geral da casa, Fábio Leandro.

A arquitetura luxuosa e a boa gastronomia também são destaques da infraestrutura oferecida aos clientes, que podem contar com a experiência de quem já produziu a melhor casa do segmento.

Escolhas para todos os gostos nesse conceito

Camarote privado permite uma "balada dentro da própria balada"

Camarote privado permite uma “balada dentro da própria balada”

O gerente lembra que a ascensão do público comprova que esse é um novo estilo de vida, desmembrando a ideia de antes, em que esse tipo de local era frequentado apenas pelos simpatizantes do swing.

“Nós temos um camarote reservado, com entrada independente e uma jacuzzi, que comporta 60 pessoas, onde pode ser feita uma festa à parte dentro da própria balada. Também oferecemos noites temáticas, como a festa a fantasia e o baile de máscaras, que costumam lotar, principalmente porque brincam com o fetiche das pessoas”, esclarece Fábio Leandro.

Em dias mais fracos o Hot Bar recebe cerca de 400 pessoas, enquanto em dias de picos esse número chega a 1200. E o gerente ressalta: “Nossa média, aos sábados, são 800 frequentadores, no mínimo. E isso só evidencia que o brasileiro está mais aberto às novas experiências”.

Noites de concursos para eles e para elas

O gerente-geral do Hot Bar, Fábio Leandro, afirma que esse tipo de entretenimento atrai muitos curiosos

O gerente-geral do Hot Bar, Fábio Leandro, afirma que esse tipo de entretenimento atrai muitos curiosos

Outra diferença que Fábio destaca é a opção de shows masculinos e femininos, o que faz com que os adeptos ao conceito e os casais possam desfrutar da programação de maneira igual e no mesmo lugar.

Anualmente, fazemos o ‘Concurso de Strip-tease’ para dar ainda mais incentivos aos dançarinos. O primeiro semestre é das mulheres e o segundo reservado aos homens.

Ele conta que tudo é avaliado por jurados gabaritados e os competidores não precisam necessariamente se apresentar com frequência na casa. E acrescenta: “O prêmio em dinheiro e o final de semana em um hotel de luxo são modos de estimular ainda mais a qualidade dessas apresentações, que são mescladas a outras do sexo oposto, para balancear as atrações”.

O público cativo da casa é acima dos 30 anos, mas não há uma regra para isso. De acordo com o gerente, a faixa dos 20 a 25 anos também vem crescendo por conta da curiosidade.

“Aqui é uma casa liberal onde a prática de vários estilos se realiza, como exibicionismo, voyeurismo, swinger e o que mais a imaginação alcançar, o que agrada a todos os tipos de gostos. Desde que a pessoa queira se divertir em um lugar glamoroso, rodeada de gente bonita e com uma infraestrutura impecável, tranquilamente o Hot Bar é o local certo”, finaliza.

Serviço:

Hot Bar

Alameda dos Pamaris, 83 – Moema, São Paulo

Tels.: (11) 5096-5987 e (11) 97322-8905

Site: www.hotbar.com.br

Funcionamento: 5ª, 6ª e sábados, a partir das 22h.

Serviço de vallet

Acessibilidade

Sobre o Autor

Priscilla Silvestre

Jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e Pós-graduanda em Jornalismo Digital, acumula mais de 14 anos de experiência na área. É curiosa por natureza e workaholic por necessidade da profissão. Encara os palcos da vida vestindo os papeis de filha, irmã, mãe, professora de idiomas, assessora de imprensa, redatora de matérias impressas ou on-line para diversas editorias e ainda se pergunta: "Tempo? Quando a gente realmente quer, sempre dá um jeito!".

Deixe um comentário