VIDA & BEM ESTAR

Jhoninho Negrão: direto de Duque de Caxias para o mundo!

Jhoninho 5

Jonatan William conta sua trajetória e mostra que nasceu para brilhar

“Fui criado em São João de Meriti até os 15 anos. Passei por várias coisas na minha adolescência, até fome, mas minha mãe sempre esteve ao meu lado me apoiando em minha carreira. Fui diversas vezes humilhado por conta dessa minha profissão”, começa contando o cantor Jhoninho Negrão.

E continua: “Tomei tapa na cara, fui chamado de vagabundo, mas sempre tive a determinação que uma hora ia acontecer, mesmo quando morei na rua”.

Hoje ele diz que concorda com uma grande letra de música, do Projota, a “Muleque de Vila”: “Se o diabo amassa o pão, você morre ou você come? Eu não morri, eu não comi, eu fiz amizade com à fome!”.

Das ruas para os palcos

Ele explica que participou por 6 meses como vocalista do grupo “Nosso Sentimento” e “Romance Inocente”, o que foi um marco em sua carreira.

“Foi onde conheci um grande amigo, um irmão, Otávio Barbosa. Meu amigo, companheiro, irmão, Tavinho, não tenho palavras para agradecer esse cara”.

Uma das facetas que o violinista descobriu em Jhoninho Negrão foi o dom como compositor, o que fez dele ainda mais otimista para continuar trilhando sua história.

“Hoje, um pouco mais conhecido, tento trazer fãs e público para minhas redes sociais. Tenho mais experiência, cabeça e sabedoria, então, tento fazer amigos na mídia onde já tenho bastante”, acrescenta.

Amizades e um sonho que só está começando

Jhoninho 3“Deus me abençoou com o presente de fazer banking vocal para alguns cantores, como Ferrugem Cacau Jr, ex-vocalista do Soweto, Renatinho, ex-componente do grupo Kiloucura, além de os grupos Clareou e Tá na Mente”.

Entre os amigos, o artista destaca alguns em meio a muitos, como Alan Piter, a cantora Lexa e o cantor Vitinho.

A música “Sacanagem” é fruto dessas amizades, que só tendem a agregar o sucesso de Jhoninho.

“Pretendo subir na mídia e fazer o meu CD. Agradeço a todos que acreditam em mim e no meu talento desde quando eu cantava em um karaokê na esquina de casa. Então, resolvi participar do Ídolos”, ressalta.

E finaliza: “Hoje eu posso dizer que eu falei que era uma questão de tempo e que tudo ia mudar. Lutei muito e vários me disseram que eu nunca iria chegar. Eu até duvidei, mas estou aqui, firme e forte com a minha música, que é a minha vida e minha paixão!”.

Serviço:

Jhoninho Negrão

Instagram: @cantorjhonny_oficial

Twitter: cantojhonny

Fan Page: Jhoninho Negrão

Facebook Oficial: Jhoninho Negrão

 

Sobre o Autor

Priscilla Silvestre

Jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo e Pós-graduanda em Jornalismo Digital, acumula mais de 14 anos de experiência na área. É curiosa por natureza e workaholic por necessidade da profissão. Encara os palcos da vida vestindo os papeis de filha, irmã, mãe, professora de idiomas, assessora de imprensa, redatora de matérias impressas ou on-line para diversas editorias e ainda se pergunta: "Tempo? Quando a gente realmente quer, sempre dá um jeito!".

Deixe um comentário