POLÍTICA

FRENTE FAVELA BRASIL EM PROL DA JUSTIÇA

Written by Anderson Moraes

 

 

 

 

 

 

Esta semana o futuro partido Frente Favela Brasil lançou uma nota se posicionando sobre o episódio do julgamento do presidente Lula, dia 24 de janeiro no TRF-4, em Porto Alegre.

Antes de falar sobre a nota oficial, acreditamos ser importante explicar para nossos leitores e leitoras um pouco sobre quais são as motivações, objetivos e quem compõe a base do Frente Favela Brasil. Para isso conversamos com o Ederaldo Nascimento, o Deco, e o Luiz de Jesus, vice-presidente da nacional, do Frente, Algo que de pronto eles sempre pretendem lembrar é que todos e todas são voluntários(as).

Seus ativistas e militantes sempre enfatizam que o Frente ainda busca assinaturas para se tornar um partido, como diz um dos seus colaboradores, o Deco, E completou informando que jovens sempre serão mais assistidos por se entender que são a parte mais vulnerável da população.

Já Luís de Jesus esclarece (ou enegrece, no vocabulário preto) algumas dúvidas que ainda pairem sobre que partido pretendem formar no que toca seus valores e objetivos:

“O Frente Favela Brasil é um partido “pós-ideológico”, de vocação popular e com um viés democrático, que se dedica a produzir os meios para que o estado brasileiro reconheça a falta de negras e negros, moradores das favelas, de periferias nos espaços de poder e nas esferas de representação política.

Diferente do que alguns dizem, não somos um partido só para pretas e pretos, e sim, um partido que está sendo formado por todas as pessoas da sociedade brasileira que desejam um Brasil mais justo e com oportunidades de igualdade. Ou seja, defendemos que moradores de favelas, em sua maioria negras e negros, possam ter a possibilidade de olhar para a política de uma forma mais inclusiva. Que se vejam dentro da política, representados por ela. Sendo assim, é natural que o protagonismo sejam de negras e negros, dentro do partido.

A nossa proposta é construir uma plataforma em que as negras e os negros favelados não somente votem, mas que principalmente sejam votados.

A nossa proposta é construir uma plataforma em que as negras e os negros favelados não somente votem, mas que principalmente sejam votados.

Cansamos de ficar passando pires. As cotas são matéria vencida. Hoje nós queremos o poder, pois sabemos que somos maioria da população brasileira e não nos vemos representados nas esferas de poder municipal, estadual e federal. Sem contar o judiciário.

Mas não queremos o poder pelo poder e sim desejamos ter a real possibilidade de mudar a vida de uma população historicamente excluída: preta e favelada. Entendemos que houve avanços, porém ainda carecemos de um modelo político que nos contemple por inteiro.

O partido é feito por voluntários, que na sua grande maioria não vieram de partidos políticos, A ideia é que nos transformemos num movimento que nasce do desejo de defender e representar uma pauta. Um recorte específico. E para isso precisamos estar na mesa que é de quem decide, ou seja, termos voz.

Já nascemos, no Frente, com representatividade real, pois a mulher tem 50% em todos os cargos. É uma forma de manter a paridade na prática. Outro fator importante é salientar que reservamos 50% das cadeiras para menores de 35 anos, ou seja, metade das nossas candidaturas será de mulheres jovens e negras. Isso é uma revolução.

E a nossa diversidade não para por aí. Na copresidência do partido estão Patrícia Alencar, do Morro do Papagaio, em Belo Horizonte, educadora e candomblecista, e Wanderson Maia, cientista político, católico, homossexual, criado nos subúrbios do Rio. Os vice-presidentes são uma indígena do Pelourinho, no centro de Salvador, e um pastor evangélico da favela de Vila Clara, em São Paulo (Eu).

Por fim, nós enquanto negras e negros sempre estivermos nos bastidores da política e por isso entendemos que chegou a hora de subirmos ao palco e contarmos a nossa própria história.”

 

Não percam em breve uma entrevista com Celso Athayde, idealizador do Frente Favela Brasil. Abaixo, a nota oficial do futuro partido, sobre a participação do ex-presidente Lula nas Eleições 2018.

 

“QUEM É VÍTIMA DA DESIGUALDADE NÃO SERÁ CÚMPLICE DA INJUSTIÇA!

Vivemos em um país desigual. Crescemos vendo os filhos dos negros e favelados tendo que se esforçar muito mais do que um branco para chegar no mesmo lugar. Ser senhor do próprio destino não é uma tarefa fácil no Brasil!

Aqueles que, desde a escravidão mandam em nosso país, fazem de tudo para garantir seus privilégios. Primeiro tentaram impedir o voto universal. Quando a democracia se tornou inevitável, criaram currais eleitorais e passaram a usar da corrupção e da compra de votos para se manterem no poder. Do alto de suas coberturas, de dentro de seus clubes privados, onde mulheres negras só entram servindo e vestidas de branco, os verdadeiros beneficiados de nossa desigualdade acreditam que só eles, que se consideram os mais preparados e instruídos, devem decidir os rumos da nação. No fundo, acreditam que o voto direto nada mais é do que a representação política daquela velha máxima de “entregar os anéis para não perder os dedos”. Um mal necessário, para dar ao povo uma ilusão de poder.

Em nossa batalha diária em busca de igualdade de oportunidades, conquistamos a constituição de 88 e consolidamos um modelo democrático que garante, ao menos no dia da eleição, que brancos e negros tenham igual direito de decidir por quem devem ser governados.

De lá pra cá, acertamos e erramos, mas pagamos com nosso suor e nossos impostos cada um dos nossos erros. Até nisso o Brasil foi desigual. Sabemos que quando se rouba do Estado são os mais pobres que pagam a conta.

O Frente Favela Brasil acredita que na democracia o maior juiz é o povo! Somos as maiores vítimas dos escandalosos desvios feitos por lideranças de praticamente todos os partidos mas acreditamos que só o povo, e ninguém mais, pode decidir quem será o próximo presidente da República.

Impedir a candidatura do Ex- Presidente Lula, de um migrante nordestino que é líder absoluto em todas as pesquisas, é hoje o maior risco para nossa democracia.

O Frente Favela Brasil surgiu para romper com a crise de representatividade que vivemos. Exatamente por isso, não iremos retroceder no princípio fundamental da nossa Carta Magna que é explícita em afirmar que “Todo o poder emana do povo”.

Quem sempre foi vítima de preconceito, quem deu o sangue para garantir o direito de votar e decidir o seu próprio destino, quem acredita que só o voto pode romper com o abismo que existe entre governantes e governados, não pode ser cúmplice de nenhuma tentativa de ganhar uma eleição no ‘tapetão’.

Temos várias críticas ao Lula e ao PT e por isso criamos nosso movimento para romper com as velhas práticas da política tradicional, mas acreditamos que o direito do povo escolher seus governantes não se trata de uma batalha entre a esquerda e a direita. É uma luta entre a civilização democrática e a barbárie autoritária, que finge mudar para permanecer como está.

Frente Favela Brasil 🇧🇷. 21 / janeiro / 2018

Sobre o Autor

Anderson Moraes

3 Comments

  • A “G.R.E.S. Escola de Samba Portela” a maior campeã que mais venceu (22) carnavais inclusive de 2017. Em 2018 traz a maior (mega) polemica da história do Carnaval. O samba enredo da Portela faz exaltação um dos períodos mais cruéis do Brasil a escravidão negra de Pernambuco comandada pelos judeus e cristãos novos, Que eram donos dos grandes engenhos de açúcar o ouro branco que movia o comércio a economia do mundo.
    E.S. Portela do Luis Carlos Magalhães, presidente da escola, homenageias os judeus que eram imperadores do tráfico de escravo negro e da escravidão negra das Américas O eldorado holandês da Companhia das Índias. O príncipe e conde holandês João Maurício de Nassau comandavam o nordeste brasileiro fazendo do Recife uma das cidades mais ricas e modernas das Américas e construindo nela primeira Sinagoga do novo mundo. Frutos da riqueza do holocausto negro e indígena do Brasil.
    E.S. Portela no ano que comemora 130 da abolição da escravatura brasileira. vem com um enredo homenageando os judeus magnatas da escravidão. Um profundo desrespeito a historia ao povo afro-indigena do Brasileiro.
    Que Conta a história real dos judeus que fugindo da inquisição e do fisco português. Vieram para Brasil com a tutela holandesa. Que dominavam o norte brasileiro. Possuidores das grandes lavouras o emprego da mão escrava negra e com tratamento pior que os católicos portugueses, além disto, foram também os grandes causadores do genocídio indígena, fizeram as maiores fortunas do mundo com a extração de madeiras e pedras preciosas ouro, prata, diamantes, etc. Com a vitória do reino de Portugal finda o domínio holandês em 1654, retomando a posse total da colônia brasileira. Obrigando os holandeses saírem do Brasil causando a fuga de milhares de judeus para a Europa e América.
    Judeus de Pernambuco proprietários das grandes fazendas e engenhos de açúcar o ouro branco fizera fortunas obtidas com genocídio indígena e o trabalho da escravidão negra. Estes partem para América Em 7 de setembro de 1654, depois de inúmeras (dificuldades) 23 judeus desembarcaram em Nova Amsterdã, então entreposto da Companhia das Índias Holandesas na Ilha de Manhattan – ali ajudariam a erguer Nova York a maior metrópole e o maior centro financeiro do mundo segundo vário historiadores a riqueza americana foi fundamentada com a escravidão negra brasileira.
    O samba enredo da Portela é um estelionato da história real brasileira, quando é marcante descontextualizarão da escravidão negra. Rosa Magalhães responsável por este absurdo, ridícula e inadmissível homenagem aos judeus escravocrata exploradores desumanos de milhões de negros.
    “De Repente de Lá Pra Cá e Dirrepente de Cá Pra Lá…”, da consagrada carnavalesca da Rosa Magalhães., chega na escola Campeã de 2017, e a Portela vem com o enredo “De repente de lá pra cá e de repente de cá pra lá…”, que vai contar a saga de imigrantes em busca de liberdade e paz, mostrando como judeus fugidos da Europa no século XVII, com destino ao Nordeste do Brasil, tiveram papel fundamental na formação da cidade de Nova York. A azul e branco de Madureira quer passar uma mensagem humanitária contra a discriminação, a perseguição religiosa e à intolerância à diversidade dos povos. (Material de divulagação oficial da Portela)

    A Rosa em suas entrevistas usam e abusa de meias verdades acerca do enredo da saga dos judeus omitindo que uma serie de incoerências destorcendo e subestimando a capacidade de refletir dos afros Braseiros no Brasil agora racismo é crime e a discriminação histórica também. Se os judeus condenam os nazistas pelos seus crimes, Nós afros também devemos condenar os criminosos e facínoras da nossa historia.
    samba enredo “De Repente de Lá Pra Cá e Dirrepente de Cá Pra Lá…”

    (1º) (Povo vencedor-letra do enredo,( le) “eram escravagistas”
    . 2º) Pedindo paz a javé, (le) (“e “tirando a paz dos índios e negros”, perseguidos na fé, (le) “e do fisco português”)
    3º) oio azul cabra da peste(le), “prepotência da chibata judaica”.
    4º) O imigrante veio trabaiá,( le) “esploraração perversa da escravidão”.
    (5º) Tem pirata no navio. O pagamento não foi ouro nem foi prata,(le) ” foi com ações dos magnatas judeus portugueses. das C.I.H.
    (6º) É legado, é união, é presente, igualdade, (le) “Menos para os escravos brasileiros”
    (7º) É Noviórque pedestal da liberdade, (le) “A Liberdade Iluminando o mundo. Menos para os negros dos EUA. Inaugurada Em 28 de outubro de 1886, mas vitoria do Movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos, aconteceram 1968 e a descolonização de África anos 60 e 70 e fim da “apartheid” na África do Sul Em 17 de março de 1992”.
    (8º) A minha Águia em poesia de cordel, (le) “A Àguia foi enganada ou esta equivocada quando faz festa e homenageia os cruéis judeus ricos. Carnavalesca da Rosa Magalhães foi leviana com Subterfúgios sonega e omitindo – os sofrimentos da crueldade no trabalho (ou era paraíso de Israel) escravos dos engenhos dos judeus em Pernambuco
    (9º) O samba enredo Portela De Repente de Lá Pra Cá e Dirrepente de Cá Pra Lá…” e com certeza um dos mais bonitos deste carnaval autor: Samir Trindade, Elson Ramires Intérprete: Gilsinho A Portela tem tudo para fazer um ótimo carnaval e ate ser campeã, mas levar à gloriosa Portela sua apaixona comunidade e milhões de admiradores participarem de uma farsa de uma que ignora uma das maiores tragédia da humanidade que foi a escravidão negra e o genocídio dos nativos brasileiros.
    (10º) A E.S Portela do Luis Carlos Magalhães.e a Carnavalesca da Rosa Magalhães. A nossa sugestão de enredo a Portela 2019. Portela (“É possível contar um monte de mentiras só dizendo a verdade “autor Nizan Guanaes ) ou “Aquele ou Aquela. Que não conhece a sua história. É como Leão que pensa que é porco. Ou a Leoa que da os seus filhotes para as hienas cuidar.” Provérbio africano haussa-mandingo) Organização Negra Nacional Quilombo ONNQ 20/11/1970 –
    quilombonnq@bol.com.br

Deixe um comentário