ENTRETENIMENTO

Causos do Gracindo: Leonardo X Leonardo

Decidi iniciar minha participação contando curiosidades que acontecem no mundo, descrevendo a história mais incrível que ocorreu em minha própria vida, até hoje sem explicação lógica e nem mesmo espiritual. Algo que, talvez, dentro de mais algumas décadas, a chamada Física Quântica venha a esclarecer. Reservo-me apenas o direito de trocar os nomes das pessoas, mas os fatos e datas são absolutamente verídicos. Não me importo de ser taxado de louco ou mentiroso ou de querer angariar “ibope”, mas tenho a total consciência de estar dizendo a plena verdade e, de alguma maneira, poder colaborar ou ser ajudado por alguém que tiver passado por fato semelhante.

No ano de 1996, visitei a Praia de Porto de Galinhas (PE) e fiquei hospedado na casa do meu amigo Cléber, por exatas duas semanas. No oitavo dia,seu pequeno filho ficou enfermo, com febre, e os pais o levaram para Recife, onde poderia ser mais bem tratado, e me disseram para ficar à vontade, pois, devido à situação, dormiriam na capital e só voltariam na manhã do dia seguinte. Também afirmaram que eu poderia aproveitar a ausência do casal e ir dormir no quarto principal da residência, onde havia ar-condicionado e não apenas ventiladores, como no quarto de hóspedes.

Assim fiz. Fui dormir por volta das 23 horas, plenamente sóbrio.Em torno de 4h50h da manhã, acordei com um peso nas costas e percebi que se tratava de uma criança. Por alguns segundos, imaginei que Cléber e esposa tinham voltado muito mais cedo do que se imaginava e que haviam colocado o filho Leandro, de quatro anos e cabelos encaracolados, sobre meu corpo, para ‘zuar’ meu sono e brincar comigo. Contudo, não era o pequeno Leandro e sim outro garoto, de olhos arregalados, cabelo liso e pele um pouco mais escura. Tudo isso era possível ver, pois os primeiros raios de sol já penetravam o ambiente. No nordeste brasileiro o amanhecer ocorre mais cedo do que no Sul e Sudeste do país.

Então, fiquei olhando para o menino, que continuava sobre minhas costas (durmo de barriga para baixo) e imaginando quem ele seria e o porquê do dono da casa tê-lo colocado ali. Foi então que percebi que a porta continuava trancada por dentro e com a chave na fechadura tal como eu havia deixado e que não havia como alguém abri-la por fora daquela maneira. Assustado, percebi que aquele menino não era deste mundo.

Fiz então um gesto brusco, levantei-me e o menino sumiu no ar, como se tivesse se desintegrado diante de meus olhos. Fiquei então rezando, pedindo a Deus para que aquela ‘assombração’ não voltasse mais e, horas depois, relatei tudo aos donos da casa, que voltaram de Recife, já com o pequeno Leandro bem de saúde.

Quatro anos se passaram e Cléber foi pai pela segunda vez, registrando o menino com o nome de Leonardo. Fui convidado a ser seu padrinho, em batizado que ocorreu em 2001, lá em Porto de Galinhas, após o menino completar um ano de vida. Em 2003, em sua festinha de três anos, este padrinho que lhes escreve, foi visitá-lo. Na hora de dormir, lembrei-me dos fatos ocorridos anos antes, naquele mesmo local e que nunca tiveram uma explicação lógica. Foi então que, para meu próprio espanto e surpresa, relembrei do rosto e das características do menino ‘assombração’ de 7 anos antes. Era exatamente igual ao pequeno Leonardo, meu afilhado, que naquele dia estava completando três anos de idade.

Como foi possível, Leonardo aparecer-me quatro anos antes dele próprio nascer e com características de uma criança de três anos? Ou seja, como o próprio Leonardo de 2003 me apareceu no ano de 1996?

Mistérios de Deus, pois há mais coisas entre o Céu e a Terra do que pode imaginar nossa vã filosofia.

Gracindo Caram
Com 52 anos, formado em Jornalismo (1986), em Publicidade e Propaganda (1988) e pós-graduado em Marketing (1992).

2 Comments

  • Eu estava dormindo mas ao contrário do Gracindo Caram, que estava de bruços, eu estava de barriga para cima.

    Senti como se alguém pesado estivesse sentado em cima de mim, sobre o meu peito, e cada vez forçando mais o peso, até ao ponto de quase eu perder as forças e desfalecer mesmo e desistir de tentar lutar. De repente sumiu. Foi terrível, terrível. Foram, calculo hoje, uns 30 segundos muito fodas…

    Pesquisem sobre Paralisia do Sono. Muitas pessoas têm alucinações junto a estes episódios e vêem vultos, vêem monstros, etc.

Deixe um comentário