POLÍTICA

Afinal, o que é desigualdade?

pobreza

O que são desigualdades, como elas surgiram? Abrimos o jornal e escutamos falar sobre elas. Na televisão o repórter dizia que reduzia a pobreza no Brasil. Afinal, do que falam eles?

É um assunto muito em voga na atualidade e convém falar sobre ele. As desigualdades sempre acompanharam o homem ao longo da sua história.

Engels dizia que no princípio o homem se reunia em pequenos grupos. Nas cavernas, não existia a propriedade privada. Tudo era de todos. A sociedade era matriarcal. Os homens saíam para caçar. As mulheres cuidavam das crianças. Os clãs guardavam para sí apenas o necessário para o seu sustento. Utensílios, comida, peles de mamíferos que serviam de abrigo. Nada mais.

Com o advento do sedentarismo o homem passou a cultivar a terra. Não precisava mais dos outros. Lentamente passou a prover de seu próprio sustento. A comida, como a terra, era uma riqueza. O homem, que dela cuidava, passou a agregar poder. A mulher perdia espaço. Não cuidava da terra, o maior bem do homem. Surgia de um só golpe a família, como a vemos hoje, e a propriedade privada. Nasciam também as desigualdades, no sentido mais clássico do termo.

Mais tarde, ao longo da história, a propriedade iria definir uma hierarquia entre as pessoas. O rei tem propriedade maior do que a dos outros nobres. Na idade média os aldeões não tem propriedade, pagando com o seu trabalho para habitar a terra dos senhores.

Rousseau distingue dois tipos de desigualdade: a desigualdade natural e a desigualdade civil. A desigualdade natural esta presente no cotidiano de todas as espécies com hábitos sociais. Os mais velhos são tratados de forma diferente dos mais jovens. Nas espécies existe diferença de papel para machos e fêmeas. O mesmo ocorre com os mais fortes e com os doentes. Para Rousseau, esta forma de desigualdade não pode ser extinta da sociedade.

A desigualdade civil é decorrente do modo como se organiza a sociedade humana. O juiz, por exemplo, é mais rico e tem mais poder do que o pedreiro. O engenheiro ganha  mais do que o feirante, e assim por diante.

Segundo Rousseau, a desigualdade civil pode ser diminuída, mas não a desigualdade natural. Diferentes modelos políticos foram pensados para atenuar as diferenças entres os homens.

O Brasil é um dos países com maior desigualdade do mundo. Existe um abismo entres os mais ricos e os mais pobres. A busca por diminuir a diferença entre os pobres e dos ricos é dever de todos, na construção de uma sociedade mais justa

Sobre o Autor

Rodrigo de Novaes

Escritor, ensaísta, médico de família e epidemiologista. Mestre em Epidemiologia pela UFSC. Escreve ao jornal Empoderado. Autor de " A última aldeia"

Deixe um comentário